sexta-feira, 8 de abril de 2011

CONSIDERAÇÕES MANDIOQUEIRAS (Nota do Altamir)

Neste 7 de abril,  momento em que completa 58 anos de história, o Instituto Assis Brasil é merecedora de atenção especial, tanto por sua caminhada como por suas preocupações atuais , sobretudo  pela sua característica de  Escola diferenciada cujo conceito  significa organização de alto nível dedicada ao estudo e pesquisa de caráter especializado e permanente com objetivos precisos, que granjeou conceitos e destaques, devemos refletir senão vejamos:

Companheiros de Jornada avante!
O ideal de quem luta e não cai
É mostrar como bons estudantes
A grandeza e as Glórias do Cejai!

 Este é o estribilho do Hino da Escola e do Cejai (Centro Estudantil) e, com essa epígrafe, queremos a atenção de todos os cidadãos, para os acontecimentos recentes e considerações  a  seguir expostas:

- Considerando que, a comunidade geral, alunos, ex-diretores, professores, ex- alunos, pais e funcionários, foi tomada de surpresa com a recente postura da administração municipal frente  a dilapidação do imóvel onde se assenta a Escola Fazenda da Escola;

- Considerando que, recentemente  centenas de ex- alunos estiveram em Ijuí para, num gesto de gratidão,reconhecimento e valorização, homenagear a Escola num reencontro saudosista, que consolidou o Imeab  um bem cultural de Ijuí,  momento em que a administração do município, numa atitude anódina, estúpida e equivocada, cedia à terceiros, lotes de áreas da Escola, destinados às aulas práticas dos alunos dos cursos técnicos, desrespeitando princípios constitucionais, bem como inobservando o direito social à educação num procedimento impróprio e inoportuno às postulações  do ato Educativo/Pedagógico;

- Considerando que a Escola Assis Brasil de Ijuí, vem se constituindo num verdadeiro ícone, celeiro de jovens técnicos e lideranças, que prestam inúmeros serviços às comunidades em todo o Brasil e até no exterior e, que a nossa região é eminentemente de produção denominada primária  e, o Ministério de Educação vem estimulando a  criação de Escolas Técnicas em todo o país;

- Considerando que, Ijuí atualnmente se orgulha da existência da Expoijuí e de suas etnias no resgate de sua história ao mesmo tempo que,  de forma estranha, desmobiliza seu patrimônio  destinadas  ao Imerab/Imeab,  objetivando outros fins, diminuindo sensivelmente a área  destinada ao processo educativo profissional (educação e formação especializada);

- Considerando que esse verdadeiro leilão  de áreas nobres da Escola Fazenda vem sendo  espoliado  como um ritual de partilha onde, alguns privilegiados recebem graciosamente  bens públicos os quais, há mais de meio século, foram adquiridas com esforço e esperança focados na educação, sendo esta, o centro  da preocupação  na busca do futuro;

-...,  a Comissão do 1º Mandiocaço ou Primeiro Reviver: Nossa Escola Nossa Memória..., vem de público, em nome de todos os FORMADOS  EX—ALUNOS,  deste estabelecimento de Ensino,ao mesmo tempo em que nos congratulamos com a família Imeab, pela passagem do seu aniversário, manifestar nossa perplexidade, indignação e  repúdio, diante dos fatos em curso. Reafirmamos nosso posicionamento em favor  da manutenção deste patrimônio (áreas de terras da Escola Fazenda),  registrando que  a postura da Prefeitura, mesmo eivado de legalidade está fora dos padrões éticos e morais esperados de uma administração pública!

Na alvorada tu foi sentinela
Na aurora a luz que avança e sobe,
Da colméia que busca na flor,
Tu Serás para sempre IMERAB!

Ijuí, 07 de abril de 2011                                                         

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário.