sábado, 10 de março de 2012

AQUECIMENTO GLOBAL - UMA ALERTA PARA DONA PREFA DE PORTO ALEGRE - RS

Aquecimento Global.
A cada dia é mais evidente que as causas do aquecimento global são antropogênicas (provocadas pelo homem). A preocupação com as mudanças climáticas levou a comunidade internacional a definir metas de redução das emissões dos poluentes considerados causadores do aquecimento global.
O Protocolo de Kyoto ficou assim conhecido por ter sido resultado de um encontro realizado em 1997 na cidade de Kyoto, no Japão. Este acordo prevê uma redução de 5,2% da emissão de gases poluentes até 2012, em relação as emissões de 1990.  O governo brasileiro assinou o tratado em 1997. Em julho de 2002 ratificou o Protocolo de Kyoto, o que significa que o país está comprometido junto a ONU a reduzir 5,2% das emissões de gases poluentes até 2012. Assinar o protocolo significa que o país está disposto a cooperar na busca de soluções conjuntas para o problema do aquecimento global. Hoje são 160 países signatários do Protocolo de Kyoto, inclusive os grandes poluidores mundiais: União Européia, Rússia e China. Porém, nem todos os países aderiram ao acordo proposto no Japão. O governo americano, país responsável pela emissão de 36% de todo o dióxido de carbono (CO2) produzido pela humanidade, abandonou o Protocolo de Kyoto em julho de 2001. O argumento era de que não existia certeza científica sobre as causas do aquecimento global. Porém, o que de fato definiu sua retirada das negociações é que, assinando o acordo, ocorreria uma redução em 3% do PIB americano, causando o fechamento de cinco milhões de postos de trabalho, fato que nenhum presidente americano vai querer no seu currículo.
Atualmente, os Estados Unidos, é a única potência industrial mundial que não ratificou Kyoto. Vale lembrar: para gerar um milhão de dólares, os EUA liberam na atmosfera 183 toneladas de dióxido de carbono (CO2). Se no País e no mundo, a comunidade científica leva a sério a questão, o que caberia a toda e qualquer pessoa fazer para ajudar a encontrar o equilíbrio do clima?    As mudanças climáticas antropogênicas estão associadas a atividades poluentes, como queima de combustíveis fósseis, queimadas, desmatamentos, agricultura, e indústrias que emitem dióxido de carbono (CO2). Precisamos mudar valores culturais e de consumo para reduzir essas emissões.  A melhor maneira de diminuir os desmatamentos, por exemplo, é o consumidor de produtos da Amazônia e dos cerrados (principalmente carne, madeira e soja) exigir certificações de origem que demonstrem que esses produtos não provêm de desmatamentos ilegais. As grandes empresas e setores que mais emitem CO2 vão rapidamente mudar seus padrões de emissões quando as pessoas não quiserem mais consumir energia ou produtos com um padrão alto de emissões.

Luiz Carlos Carbonari
Santo Ângelo – RS.

2 comentários:

  1. Agrego um pouco de aditivo ao seu comentário. Tomo como base pesquisas desenvolvidas pelo NEPAS. Elas evidenciam que a sociedade está interessada e motivada (da ordem de 70%) com a temática Mudanças Climáticas; porém, deste mesmo grupo, cerca de 30% consegue explicar com suas próprias palavras o que é MC e AG. Deixo a conclusão aos que leem este comentário. Estamos faslçando de fatos (mensurados), não de suposições.

    Roosevelt
    NEPAS
    roosevelt@ebrnet.com.br

    ResponderExcluir
  2. Prezado Roosevelt.
    É bem vinda tua contribuição ao Blog, pois a mesma enriquece nosso aprendizado. Temos que parabenizar os 30% dos entrevistados pelo NEPAS por saberem explicar com suas próprias palavras o que é MC Mudanças Climáticas e AG Aquecimento Global. Os demais 70% somente saberão explicar essas causas de MC e AG quando as consequências do clima afetarem diretamente seu bolso e principalmente a saúde. Como consequência de MC e AG estamos vivendo uma prolongada estiagem no Rio Grande so Sul ocasionando uma perda de 60% na produção de soja estimada em 10.000.000 de Toneladas. Essa perda resulta num prejuízo para os produtores de soja em torno de R$5.000.000.000,00 com drásticas consequências a economia do Estado e a cadeia produtiva. Certamente, os 70% acima quando tiverem a oportunidade de ver esses números, saberão explicar com suas próprias palavras o que é MC e AG devido suas consequências ao meio ambiente.
    Luiz Carlos Carbonari
    lcarbonari@san.psi.br

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário.