sexta-feira, 29 de março de 2013

LEMBRANÇAS DO POSTO AGROPECUARIO Nº 2

Quem estudou no IMERAB na minha epoca (início da decada de 1970)deve lembrar das aulas praticas,do alojamento,das refeições e dos banhos no açude do belo Posto Agropecuario.A ala feminina ia acompanhada pela incansável Irmã Iolanda.que distribuia as tarefas e avaliava no final o trabalho de limpeza dentro das casas e dos jardins.
Quanto aos rapazes a tarefa era o cuidado com a lavoura e com os pomares.No trato da terra,alguns alunos devido ao intenso calor,preferiam lavrar à noite.Conta a lenda que numa noite de lua cheia um aluno vulgo "vermelho" resolveu pregar uma peça em seu colega tratorista que tranquilamente arava a terra.Pois o dito cujo malandro cobriu-se com um lençol branco e com uma tocha de fogo na mão corria em desabalada carreira coxilha a fora fazendo piruetas,ora sumindo e ora aparecendo na escuridão.O tal fantasma não imaginava as tristes consequencias do seu ato,uma vez que o colega tratorista endoideceu de susto e sem folego,correu desatinado em direção ao alojamento deixando o trator ligado.Coube ao afoito fantasma conduzir o trator até o galpão.
Este fato corria de boca em boca na escola.Hoje em pleno seculo XXI,virou lenda nas rodas de MANDIOQUEIROS.

OBS. O VERMELHO era da turma do Mineiro,do Ratão, do Coração Fiel,do Minhoca,do Gobbo,do Carbonari,do Rosendo,do Arno Franzen(hoje quase vizinho do Tratorista),do Kinalski e outros mais.

Texto - Daio - POA - RS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário.